O Grupo de Danças e Cantares Besclore foi fundado em 1987, é uma das vertentes do Grupo Cultural e Desportivo dos Trabalhadores do Grupo Novo Banco.

Composto por cerca de 40 elementos visa “recolher, representar, promover e divulgar as tradições, usos, costumes, danças e cantares do povo do Alto e Baixo Minho português”. Iniciando a sua representação etno-folclórica nas danças, nos cantares e no trajar do final do XIX, princípio do séc. XX.

O Grupo leva já alguns anos de actividade na exibição da policromia dos trajes de Viana do Castelo, do requinte dos trajes de Braga, da elegância das modas dos vales dos rios Ave e Este, e da vivacidade e alegria contagiante das modas da Ribeira Lima e Serras d`Arga e Soajo.

Tem ao longo dos anos participado em inúmeros espectáculos, festivais de folclore e romarias de Norte a Sul do Pais.Além de Portugal, o Besclore já se exibiu em Espanha, França, Inglaterra e Itália.


Fotografia de Grupo de Agosto de 2014
ESTE NÃO É O SITE OFICIAL!!
PARA QUALQUER ASSUNTO OFICIAL SOBRE O GRUPO CONTACTAR O GRUPO CULTURAL E DESPORTIVO DOS TRABALHADORES DO GRUPO NOVO BANCO(VER CONTACTOS NO MENU EM CIMA).

Santuário de Nossa Senhora do Sameiro

O Santuário de Nossa Senhora do Sameiro (ou Santuário do Sameiro ou Imaculada Conceição do Monte do Sameiro) é um santuário mariano localizado em Braga, Portugal, cuja construção se iniciou a 14 de Julho de 1863.
O fundador deste santuário foi o vigário de Braga, Padre Martinho António Pereira da Silva, natural de Semelhe, que em 1871 fez colocar, no cume da montanha, uma imagem de Nossa Senhora da Conceição. Este santuário um dos centros de maior devoção mariana em Portugal, logo depois do Santuário de Fátima e do Santuário da Mãe Soberana.
Neste Templo, concluído no século XX, destaca-se no seu interior o altar-mor em granito branco polido, bem como o sacrário de prata. Em frente do Templo ergue-se um imponente e vasto escadório, no topo do qual se levantam dois altos pilares, encimados com a imagem da Virgem Maria e do Sagrado Coração de Jesus.  A escultura, esculpida em Roma e benzida pelo Papa Pio IX, porta uma belíssima e valiosa coroa com 2,5 kg em ouro maciço e brilhantes, oferecida pelas mulheres de Portugal, inclusive pela Rainha D. Amélia de Orleães.

Braga foi a primeira cidade portuguesa a dedicar um monumento que testemunhou o regozijo do povo de Deus em terras de Santa Maria, ao ser proclamado o dogma da Imaculada Conceição, em 8 de Dezembro de 1854. D. Jorge Ortiga, Arcebispo de Braga, salientou o papel de Nossa Senhora neste local ao identificá-la na sua carta pastoral E Deus Escolheu Maria para ser Mãe de Deus como presença que interpela e convida a “variadas iniciativas sempre conduzentes ao encontro com Cristo, na Palavra e na Eucaristia.”
 

Atuações 2016

27 Fevereiro - Festa das Sopas - Agrupamento Escudeiros da Penha de França, Lisboa
13 Março - Arraial Minhoto do Grupo de Danças e Cantares do Minho, Lisboa
30 Abril - Feira à Moda Antiga, Brandoa, Amadora
8 Maio - Festas em Honra de São Brás, Casal de São Brás, Amadora
21 Maio - 6ª Feira Solidária e das Instituições, Parque Salgueiro Maia, Massamá, Sintra
22 Maio - Café- Concerto Escola Conde de Oeiras, Oeiras
5 Junho - XXI Festival de Folclore da Vila de Sobrosa, Grupo Folclórico da Vila de Sobrosa, Sobrosa, Paredes
12 Junho - Festas em Honra de Santo António, Cabrela, Terrugem, Sintra
19 Junho  - Festival do Rancho Folclórico Areinho de Oliveira o Douro, Vila Nova de Gaia
26 Junho - Aniversário e XIV Festival do Rancho Folclórico Identidade Lusa, Oliveira do Bairro
16 Julho - X Festival de Folclore de Cárquere, Grupo de Danças e Cantares Os Moleiros de Cárwuere, Cárquere, Resende, Viseu
23 Julho - Festival de Folclore Rancho Etnográfico Santa Maria de Touguinha, Touguinha, Vila do Conde
30 Julho - I Festival Rancho Folclórico e Etnográfico Ribeira da Raia, Ribeira da Raia, Mora
6 Agosto - XXII Festival de Folclore do Concelho de Sesimbra, Grupo Folclórico e Humanitário de Sesimbra, Fortaleza de Sesimbra, Setúbal
7 Agosto - Festival Rancho Folclórico de Bravães, Bravães, Ponte da Barca

Actuações 2015

Actuações 2015

22 Março - Café- Concerto Escola Conde de Oeiras, Oeiras
25 Abril - Festival R.F. Os Camponeses de Santana do Mato Santana do Mato, Coruche
10 Maio - Festival Rancho da Senhora da Hora de Vilela,Vivela, Paredes
16 Maio - Festas em Honra de Nossa Senhora de Fátima, Barcarena
30 Maio - XXII Encontro de Culturas Luso Espanhol - Arraial Minhoto Grupo Folclórico e Etnográfico Danças e Cantares Verde Minho, Loures
20 Junho - Festa de 25 anos de Casamento, Particular
4 Julho  - Festival Rancho Folclórico de Pedrógão Pequeno, Pedrógão Pequeno
11 Julho - Festival G.F.Infanto Juvenil S. Miguel Carreira, Barcelos
8 Agosto - Festival de Folclore, Rancho das Lavradeiras de São Martinho da Gandra, S. Martinho da Gandra, Ponte de Lima
9 Agosto - ROMARIA Associação Recreativa e Cultural da Serra, Mação
22 Agosto - XXXVIII Festival Internacional de Folclore da Luz, Rancho Folclórico Luz de Tavira, Tavira
30 Agosto - Festa Freguesia e da Paróquia de S. João Degolado, Junta de Freguesia São João Degolado Terrugem, Sintra
12 Setembro- XVI Festival de Folclore Besclore, Grupo de Danças e Cantares Besclore, Lisboa
19 Setembro - XXVII Festival do Rancho Folclórico Os Unidos da Cheira,  Rancho Folclórico Os Unidos da Cheira,  Coimbra
29 Novembro - RASTRILLO 2015 - Feira de Solidariedade Novo Futuro, Associação Novo Futuro Centro de Congressos de Lisboa (antiga FIL), Lisboa
6 Dezembro - Festival de Folclore - Feira de Santo André, Rancho Folclórico de Barqueiros do Douro, Mesão Frio
19 Dezembro - Serão de Cânticos ao Menino Jesus, Rancho Folclórico e Etnográfico do Arelho, Óbidos e Capela de Santo André, Óbidos e Arelho
20 Dezembro  - Reisadas e Cantares ao Menino, GDC Besclore e GEDC Minho, Igreja da Graça, Lisboa

Romaria de Nossa Senhora D' Agonia, Viana do Castelo

Nasce a Romaria (...) de uma Via Sacra que partindo do Convento Franciscano de Sto. António, rematava no antigo morro da forca. Foi aí que se construiu a Capela do Bom Jesus do Santo Sepulcro (1674), o Bom Jesus da Via Sacra. A devoção à Senhora d'Agonia ocorre a partir de 1751 com a entrada da imagem, na Capela do Bom Jesus. E logo em 1783 a Sagrada Congregação dos Ritos concedeu faculdade e licença para todos os anos se celebrar nesta Capela no dia 20 de Agosto uma Missa Solene. Data que a Cidade de Viana elegeu como Feriado Municipal. Em 1861 a Romaria extravasa já a Festa Religiosa. É o arraial com todas as suas motivações lúdicas - os descantes ao som das violas, as esturdias e as danças. Em 1862, o concurso do povo era tal que se calculava já em mais de 50.000 pessoas que contemplam o fogo-de-artifício da dupla José Castro e Manuel Silva. Em 1871 anexa-se ao programa das Festas a tourada. Em 1906 nasce a Festa do Traje e em 1908 a 1ª Parada Agrícola (cortejo etnográfico). A Romaria sai do âmbito acanhado do Campo d'Agonia. Invade a Cidade. São as Festas de Agosto, a Romaria das Romarias de Portugal. Cartaz, símbolo de uma região, veículo indelével da cultura, de uma longa História em que o fenómeno do sagrado e do imaginário caminham lado a lado.




A romaria de Nossa Senhora da Agonia, em Viana do castelo, é considerada uma das maiores de Portugal. A primeira referência a este culto remonta ao século XVIII. A ligação com a comunidade piscatória é forte nos festejos de Nossa Senhora da Agonia.

Capela de Nossa Senhora d'Agonia

A devoção começou com a imagem presente na capela do Bom Jesus de Santo Sepulcro do Calvário, que mais tarde se chamou Capela do Bom Jesus da Via Sacra e que, ainda mais tarde, se passou a chamar Capela da Senhora da Soledade. O local onde se encontrava a capela, permitia aos vianenses observar as chegadas bem sucedidas dos barcos de familiares que partiam para o mar, mas também originavam momentos de aflição com a sorte desses pescadores, entregues aos caprichos das marés. Foi por esta razão, conta-se, que o povo de Viana do Castelo, sofrendo diariamente as angústias da vida do mar, decidiu renomear a imagem que já tanta devoção originava com um novo nome: Nossa Senhora da Agonia.



Foi a partir dessa data que a romaria em torno de Nossa Senhora da Agonia começou a cativar cada vez mais devotos. Tanto que em 1772 o dia único de romaria alargou-se a 3 dias, embora o principal atractivo continuasse a ser as cerimónias religiosas. Apesar de os dias tradicionais (18, 19 e 20 de Agosto) terem mudado para coincidirem com sexta, sábado e domingo, está determinado que os festejos não podem ocorrer antes de dia 15 ou depois de dia 25 de Agosto. Até 1968, quando se passou a efectuar a procissão fluvial, eram os próprios pescadores que carregavam o andor com a imagem.



Com o passar dos anos o número de visitantes tem aumentado, bem como as iniciativas paralelas aos festejos religiosos. Um Cortejo etnográfico representativo do distrito, uma feira de artesanato regional e o também já tradicional fogo de artifício junto ao Rio Lima, são algumas das actividades que animam a cidade durante a romaria.


 


Recomendo a visualização do filme Romaria da Senhora d'Agonia, realizado em 1958. Aqui fica o link.





Fonte: http://vianafestas.com/pt/eventos-e-romarias/romaria-sra-da-agonia; Wikipédia. imagens retiradas do google.e artigos sobre a romaria.

Dia da Espiga

O Dia da espiga ou Quinta-feira da espiga é uma celebração portuguesa que ocorre no dia da Quinta-feira da Ascensão com um passeio matinal, em que se colhe espigas de vários cereais, flores campestres e raminhos de oliveira para formar um ramo, a que se chama de espiga.

Segundo a tradição o ramo deve ser colocado por detrás da porta de entrada, e só deve ser substituído por um novo no dia da espiga do ano seguinte.
As várias plantas que compõem a espiga têm um valor simbólico profano e um valor religioso.

Crê-se que esta celebração tenha origem nas antigas tradições pagãs e esteja ligada à tradição dos Maios e das Maias.

O dia da espiga era também o "dia da hora" e considerado "o dia mais santo do ano", um dia em que não se devia trabalhar.

Era chamado o dia da hora porque havia uma hora, o meio-dia, em que tudo parava, "as águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam". Era nessa hora que se colhiam as plantas para fazer o ramo da espiga e também se colhiam as ervas medicinais. Em dias de trovoadas queimava-se um pouco da espiga no fogo da lareira para afastar os raios.

A simbologia por detrás das plantas que formam o ramo de espiga:

Espiga – pão;
Malmequer – ouro e prata;
Papoila – amor e vida;
Oliveira – azeite e paz; luz;
Alecrim – saúde e força.